Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 94 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Diretor "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Sénior morre no CHUC após ter sido atropelada no Centro de Dia da Adémia


Domingo, 26 de Março de 2023

Uma mulher de 87 anos morreu esta sexta-feira no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) dois dias depois de ter dado entrada na urgência dos HUC após ter sido atropelada por uma carrinha do Centro de Dia da Adémia, onde era utente.
A morte de Isménia da Cunha Fernandes, residente em Brasfemes, foi confirmada ao Diário de Coimbra por familiares da sénior, que era há quatro anos utente do Centro de Dia da Adémia, em cujas instalações o acidente aconteceu. De acordo com os familiares, a sénior, que «era ainda autónoma» encontrava-se na passada quarta-feira, durante a manhã, a «dar o seu passeio habitual» no parte exterior do Centro de Dia da Adémia, embora dentro do recinto da instituição, quando foi atropelada por uma carrinha da Centro de Solidariedade Social da Adémia, que se encontrava a fazer uma manobra de marcha atrás, deixando-a com vários ferimentos.
O INEM de imediato foi chamado ao local. Além de socorrer a vítima, transportou-a para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), tendo esta dado entrada no Serviço de Urgências com vários ferimentos e, de acordo com familiares, chegou a ser submetida a uma intervenção cirúrgica.
Acabou, no entanto, por não resistir aos ferimentos e faleceu esta sexta-feira, depois da hora do almoço, dois dias depois do acidente, confirmam os familiares.
Rogério Gomes, presidente da direção do Centro de Solidariedade Social da Adémia, confirmou o acidente da passada quarta-feira e «lamenta profundamente que tal incidente tenha acontecido». «Estamos todos muito consternados e ainda em estado de choque», confessou o responsável ao Diário de Coimbra, garantindo que se tratava de «uma utente já de há alguns anos da instituição e particularmente querida de todas as pessoas» o que faz com que «a consternação seja ainda maior» para todos e particularmente para a funcionária que conduzia a carrinha na altura.
O responsável explica que a condutora tinha acabado de deixar alguns utentes na instituição e que estava a fazer uma manobra para estacionar a carrinha quando, «de forma completamente acidental» atropelou Isménia da Cunha Fernandes.
De acordo com o responsável, além do INEM, foram, de imediato chamadas ao local as autoridades, nomeadamente a GNR, para tomar conta da ocorrência, tendo a instituição «imediatamente contactado a seguradora e accionado o seguro», informando os familiares da utente de todos estes procedimentos.
«O caso segue agora os trâmites normais», confirma Rogério Gomes que, para já, diz não ter aberto qualquer processo interno sobre o sucedido

Suplementos Temáticos