Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 94 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Diretor "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Mostra em Coimbra sugere “passagem pela Ópera de Pequim”


Quarta, 10 de Julho de 2024

Coimbra pode, a partir de agora, conhecer um pouco mais da Ópera de Pequim, Património Cultural Imaterial da Humanidade, na exposição interativa ontem inaugurada na Casa da Cultura. Até 15 de setembro será possível apreciar os elementos essenciais dos cenários da ópera - máscaras, personagens ou instrumentos musicais – ou experimentar alguns dos artefactos expostos.
Na presença do embaixador da China em Portugal, Zhao Bentang, da diretora do Instituto Confúcio da Universidade de Coimbra, Cristina Zhou, e do presidente da Câmara de Coimbra José Manuel Silva, o vereador Francisco Queirós, responsável pela área das Bibliotecas e Arquivos, sublinhou que a entrada na exposição “Uma passagem pela Ópera de Pequim” é livre e permite o acesso a um expoente da cultura chinesa, e mundial, considerando a mostra mais um passo na cooperação de Coimbra com a República Popular da China.
Cristina Zhou recordou o passado secular de intercâmbio cultural entre os dois países e, ao falar do Instituto Confúcio da UC, observou que completou agora oito anos, a 4 de julho, Dia da Cidade de Coimbra, sendo promotor de diálogos culturais e científicos na academia e na cidade.
O embaixador Zhao Bentang fez votos de que a mostra leve mais pessoas a apreciar a cultura chinesa, e que a amizade entre China e Coimbra se aprofunde.
É «difícil melhorar a amizade, mas é possível aprofundar», que é o que se procura com a exposição, disse José Manuel Silva, já depois de referir os 500 anos de relações de amizade entre os dois povos. O autarca deixaria o convite a todas as pessoas a «experimentar, viver e sentir» a exposição.
A mostra, que pretende dar a conhecer trajes, personagens, gestos, músicas e cenários da Ópera de Pequim, resultou de organização conjunta da Divisão de Bibliotecas e Arquivo Histórico da Câmara de Coimbra, Gabinete de Relações Institucionais e Internacionais da autarquia e o Instituto Confúcio da Universidade de Coimbra e de Lisboa.
De acordo com informação da Câmara, a Ópera de Pequim «é a forma mais conhecida de entre mais de 300 tipos de ópera chinesa tradicional, combinando música, acrobacias, técnicas de canto específicas, maquilhagens e indumentárias complexas».
Além do núcleo expositivo, que pode ser visitado de segunda-feira a sábado (das 9h00 às 19h30), «os mais novos, dos seis aos nove anos, vão ter a oportunidade de percorrer, a 16 de julho, uma “Viagem pelo Oriente” e, a 18 de julho, uma “Viagem pela China”.

Expofacic 2024