Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 94 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Diretor "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

125 anos de Queima - Tomás Branco, responsável pelas infraestruturas (com vídeo)


Terça, 14 de Maio de 2024

Voz aos Comissários

Em contagem decrescente para a Queima das Fitas, o Diário de Coimbra dá a conhecer o trabalho dos comissários responsáveis pela festa. 



Qual é a principal função do teu pelouro na Queima das Fitas?

O meu pelouro das Infraestruturas acarreta muito o trabalho com os Núcleos de Estudantes e com as Secções Desportivas e Culturais. No fundo, sou responsável por coordenar toda a parte das bebidas alcoólicas e sumos que são distribuídos depois pelos núcleos e secções que marcam presença na zona da tenda e nas habituais barraquinhas. Durante toda a semana de festa, cada Núcleo de Estudantes ou secção tem a sua barraquinha onde vendem as suas bebidas e o meu pelouro é responsável por essa organização.


Durante as noites, os responsáveis de cada barraquinha podem fazer vários pedidos, cerca de dois a três, consoante a necessidade e eu tenho a responsabilidade de distribuir essas bebidas pelos núcleos e organismos. 

Já a parte das barracas, no que diz respeito à decoração de cada uma é responsabilidade dos núcleos, contudo, a construção em si depende da logística geral e da logística de parque.


De que forma agilizam a organização do vosso trabalho?
Ao nível da preparação, podemos dizer que tratamos de tudo com antecedência. Eu comecei a organizar o meu trabalho e as minhas responsabilidades logo no início do ano. Tratando de tudo atempadamente dá-nos mais confiança e, no meu caso, tentei entrar em contacto com as três empresas que nos vão fornecer tudo o que precisamos o quanto antes.

Durante a semana da Queima das Fitas o trabalho é mais intenso?
Sim, durante a semana da Queima é quando temos que trabalhar e manter tudo a funcionar. Mas, tendo tudo agilizado com as empresas, só temos que fazer as encomendas necessárias para responder aos pedidos das mais de 20 barraquinhas presentes no recinto. Claro que havendo uma boa organização de todas as partes é possível fazer tudo com mais tranquilidade.

Qual é o maior desafio de organizar a Queima das Fitas?
O facto de lidar com muitas pessoas, às vezes com feitios muito diferentes, é preciso ter um “jogo de cintura” muito forte para termos capacidade conciliar todos os núcleos, empresas e organismos envolvidos nesta festa. 



CCDR Funtos Europeus