Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 94 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Diretor "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

UD Leiria é o oitavo clube do país com melhor média de espetadores por jogo mas presidente quer mais


Texto: José Roque | Foto: LFC Sábado, 20 de Abril de 2024

A UD Leiria é o oitavo emblema dos campeonatos profissionais em Portugal com melhor assistência média por jogo, apresentando um acumulado de 87.120 espetadores na presente época, número registado nos 15 jogos realizados na condição de visitado e que lhe confere como o segundo melhor da Liga 2.
Apesar de apresentar uma média por jogo de 5.808 espetadores no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, os responsáveis unionistas admitem que esperavam mais. “A UD Leiria, sendo um clube ambicioso como é e estando no primeiro ano na Liga 2, depois de tantos anos arredados dos campeonatos profissionais, ficar em segundo lugar na média de espetadores [na Liga 2] é sempre positivo e motivo de orgulho. Se está aquém das expectativas? Claro que sim. A nossa expectativa é fazer sempre mais e melhor, ter sempre mais gente no estádio mas esse é um caminho que temos de percorrer”, começou por dizer o presidente da UD Leiria SAD, Armando Marques, acrescentando estar “orgulhoso” pelo caminho que foi feito até aqui, mas admite querer “mais”.
No top 10 nacional, a UD Leiria só fica atrás de Benfica (média de 56.742 espetadores por jogo), Sporting    (38.389), FC Porto (37.749), Vitória SC (16.902), SC Braga (15.390) e Boavista (8.861), todos da Liga 1, enquanto o Marítimo SC, com uma média de 7.410 por jogo, é o único emblema da Liga 2 capaz de destronar a UD Leiria.
“Há bem pouco tempo tínhamos um ‘selo’ a nível nacional de que Leiria e os leirienses não gostavam de futebol. Estar em 2.º lugar na Liga 2 é algo positivo e não tem a ver com a gratuidade dos bilhetes, porque no passado os bilhetes também eram gratuitos e não se conseguia chegar a este desiderato”, sublinhou Armando Marques. Ainda assim, o responsável acredita que o emblema do Lis terá de “trabalhar ainda mais para trazer os leirienses e os unionistas” ao estádio, para que eles próprios sejam uma preciosa “ajuda” no caminho do “sucesso desportivo”.
Armando Marques referiu ainda que a configuração do Estádio Municipal de Leiria não é muito atrativa para os espetadores no que diz respeito aos jogos de futebol. “O nosso estádio, além de ter a dimensão que tem, tendo uma pista [de tartan] que torna o estádio um pouco distante para o público. Não é a mesma coisa assistirmos a um jogo em cima da linha do relvado ou estarmos a 30 metros. Mas é o que temos e é com isso que trabalhamos”, refere o presidente da UD Leiria.
Por outro lado, o responsável admite que os resultados desportivos também condicionam o entusiasmo à volta da equipa, com o atual 12.º lugar ocupado pela equipa na Liga 2 a não servir de especial atrativo para os adeptos.
“Quanto melhor forem os resultados desportivos mais ajuda e com mais entusiasmo os adeptos vêm ao estádio”, frisou Armando Marques, acrescentando que “não é a mesma coisa lutar para subir de divisão” em que se cria um “entusiasmo natural das pessoas”, do que estar a meio da tabela.
O presidente da UD Leiria acredita ainda que os horários a que equipa tem sido ‘obrigada’ a jogar também têm contribuído para uma diminuição no número de espetadores no estádio. “Há horários que fazem com que as pessoas não venham ao estádio. É um facto. O horário das 11h00 da manhã a um sábado, por exemplo, é um dia de trabalho para muitos leirienses. E isso é um facto evidente da diminuição de pessoas no estádio, assim como os jogos às 14h00. São horários que não são compatíveis com a vontade e disponibilidade das pessoas de virem ao estádio”, lamentou.
Ainda assim, Armando Marques não baixa os braços e assegura que para o sucesso no processo de criação de “bases sólidas”, para que cada vez mais a UD Leiria tenha os seus adeptos no estádio, é preciso “paciência”. “É um processo que estamos a encetar e que iremos ter sucesso, com certeza. Mas é um processo longo, de paciência. Acima de tudo sabemos o caminho que queremos percorrer”, disse.

Aposta no público jovem
Ao longo das duas últimas épocas, a UD Leiria tem encetado várias iniciativas pré e pós-jogos com reconhecido sucesso na atratividade de pessoas ao estádio, com Armando Marques a garantir que a capacidade criativa do clube “não se esgotou”. “Nós temos de atrair cada vez mais pessoas ao estádio e é para isso que trabalhamos todos os dias, essencialmente para fidelizar os adeptos da UD Leiria. Isso é um processo que não acontece da noite para o dia. É um processo longo, moroso”, admitiu.
Nesse sentido, o responsável assegura que até ao final da época vão continuar a ser desenvolvidas iniciativas “pequenas”, mas no sentido de “premiar” os adeptos que são “mais fiéis e leais”, com destaque para os mais novos. “Agora que o tempo está bom, [queremos] que os mais jovens convençam os seus pais e os seus avós a virem ao estádio porque as iniciativas que temos estão viradas para os mais jovens. As crianças do 1.º ciclo são o nosso principal objetivo porque eles assegurarão o futuro da UD Leiria nos tempos próximos”, concluiu.
No que diz respeito à presença da Feira de Leira nas imediações do estádio a partir de maio, Armando Marques admite que pode até pode ser positivo para a UD Leiria pela “grande movimentação de massas” que se poderá refletir “nas lotações” do recinto desportivo.
Recorde-se que, na presente época, a UD Leiria ainda vai disputar dois jogos em casa, diante do Penafiel (dia 25 de abril) e Ac. Viseu (dia 12 de maio).|

CCDR Funtos Europeus