Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 93 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Diretor "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Câmara de Coimbra transforma área habitacional do iParque em zona industrial


Terça, 27 de Fevereiro de 2024

A Câmara de Coimbra vai transformar a terceira fase do parque tecnológico iParque, com 20 hectares reservados para área habitacional, numa zona industrial, afirmou hoje o presidente do município.
“O objetivo primeiro é desenvolver o iParque, nomeadamente transformar a 3.ª fase do iParque, que era uma fase habitacional, numa fase industrial. São mais 20 hectares de área industrial”, disse José Manuel Silva, que falava com os jornalistas após a cerimónia de inauguração do centro avançado de tecnologia da multinacional Accenture em Coimbra.
Falando da necessidade de aumentar as áreas do concelho destinadas à indústria, o autarca realçou a importância de alargar a área reservada para esse efeito no iParque.
“Paralelamente, e em simultâneo, vamos criar uma nova grande área industrial para receber indústrias de maior dimensão, que pedem 10, 20 ou 30 hectares”, referiu o presidente da Câmara de Coimbra, escusando-se a divulgar qual o local que está a ser pensado para esse novo investimento.
Para José Manuel Silva, para além da necessidade de atrair investimento no setor tecnológico, que requer espaço de escritórios, é importante garantir indústria no concelho.
“Queremos emprego para todos os níveis de formação. Precisamos de ter indústria e, para a instalação de grandes indústrias, Coimbra ainda não tem espaços”, notou.
Depois de ter conseguido atrair multinacionais como a Deloitte, Airbus e Accenture, José Manuel Silva admitiu que “há mais empresas na calha”, apesar de admitir falta de escritórios na cidade.
“Estamos a ocupar todos os espaços disponíveis para instalação de empresas. Estamos a instalar também no Estádio Municipal e estamos a desafiar empresários para construírem em projetos mais abrangentes torres de escritórios, para instalarmos empresas”, disse.
O autarca apontou para o caso de uma empresa canadiana que se pondera instalar em Coimbra, “na área da inteligência artificial e saúde, e procura um espaço de mil metros quadrados para começar a instalar-se”.
“Precisamos de espaços de escritórios e não havia essa cultura em Coimbra. Temos alguma dificuldade na procura desses espaços”, vincou, referindo também que a construção do Campus da Justiça permitiria libertar espaços ocupados pela justiça na Torre Arnado, onde está instalada a Accenture.

Tasca do Ronaldão



Edição de Hoje, Jornal, Jornais, Notícia, Diário de Coimbra, Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu