Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 89 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Director "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Relação médico-doente: será que a tecnologia a fará desaparecer?


segunda, 25 fevereiro 2019
Que a evolução tecnológica está cada vez mais presente na Medicina é assumido, mas a forma como ela interfere na relação entre o médico e o doente já suscita diferentes interpretações. Há quem anteveja o fim da relação entre as duas partes, há quem entenda que essa relação tem de ser obrigatoriamente preservada, mas parece consensual que está em risco. Isso mesmo viu--se ontem no debate sobre o impacto da evolução tecnológica na Medicina, que marcou o encerramento do 8.º Congresso Médico-Científico “In4Med”, que tem vindo a decorrer no auditório do Convento S. Francisco.Margarida Silvestre, professora de Ética e médica na área da reprodução medicamente assistida, foi a primeira a lançar o assunto para o debate, perante uma imensa plateia de estudantes de medicina que lotou o auditório. «A tecnologia é óptima para resolver muitos diagnósticos e tratamentos, mas tem riscos» ao deixar de lado a componente humana que, defendeu, «não se pode perder». «O diagnóstico é muito mais do que o diagnóstico clínico, é preciso um sorriso, perguntar, deixar o doente falar, fitar o doente nos olhos», defendeu Margarida Silvestre.
Leia a notícia completa na edição em papel.