Jornal Republicano – Órgão Regionalista das Beiras – Há 87 anos a informar
Fundador: 
Adriano Lucas (1883-1950)
Director "In Memoriam":  
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Câmara de Aveiro aprova rua “Engº. Adriano Lucas”


sábado, 26 novembro 2016
Aveiro vai ter uma rua “Engº. Adriano Lucas – Fundador do Diário de Aveiro”. Depois da decisão unânime da Câmara de Aveiro, o arruamento situado a Norte da EB1 da Granja – Vera Cruz, o qual liga a Rua 1.º Visconde da Granja à Rua D. José I, vai ostentar uma placa de toponímia com o nome do fundador do Diário de Aveiro. Nascido em Coimbra, a 14 de Dezembro de 1925, Adriano Lucas exerceu, ao longo da sua vida profissional, diversas actividades e funções como dirigente de imprensa, engenheiro, gestor e empresário. Formou-se, em 1949, em Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior Técnico, em Lisboa. Um ano depois, a morte do seu pai levou-o a assumir a liderança do Diário de Coimbra. Além do sector da comunicação social, foi presidente de Administração, administrador e sócio-gerente de diversas empresas de sectores diferenciados. Mas foi, efectivamente, à Comunicação Social que Adriano Lucas dedicou a maior parte da sua vida sempre activa ao longo de 85 anos. A 19 de Junho 1985 fundou o Diário de Aveiro; a 13 de Outubro de 1987, o Diário de Leiria; a 23 de Outubro de 1989, a Rádio Regional de Aveiro e, a 2 de Junho de 1997, o Diário de Viseu. Para assegurar a impressão destes quatro diários, bem como de diversos outros jornais regionais, criou, em 1981, a FIG – Indústrias Gráficas, SA. Foi escolhido para representar os jornais diários portugueses no restrito grupo que elaborou a primeira Lei da Imprensa do pós-1974, publicada em Fevereiro de 1975. Foi membro do Conselho de Imprensa durante toda a sua existência (1975/90) e integrou, ainda, várias entidades que têm como missão a defesa da imprensa livre e plural. Foi ainda administrador-fundador do CENJOR (Centro Protocolar de Formação de Jornalistas) e da NP – Notícias de Portugal. Nos últimos 15 anos de vida, e após ter sobrevivido a uma doença grave, dedicou-se à poesia, tendo escrito mais de 2.000 poemas e publicado dois livros: “Pensamentos”, em 1996, e “Livro de Quadras - Pensamentos enquadrados”, em 2000. Adriano Lucas faleceu no Dia Mundial da Poesia, a 21 de Março de 2011.